15.1.10

Belo, Justo e Verdadeiro?



Em uma aula de história da arte na faculdade, me lembro de ter ficado impressionada com a arte da Grécia antiga e com o comentário da professora que disse que para os gregos a arte deveria ser bela, justa e verdadeira. Portanto, aquilo que é belo, também seria verdadeiro e justo, assim como o que é justo seria verdadeiro e belo, e assim por diante...

Isso me faz pensar nos cosméticos testados em animais. De que adianta você comprar um cosmético maravilhoso, que te deixa linda, mas que foi testado em animais, causando dor e sofrimento prolongado a centenas e milhares de coelhos, ratos, gatos e cães? Isso não é justo! Portanto não tem nada a ver com beleza e detesto admitir que seja verdadeiro.



As empresas que testam seus produtos em animais alegam que esses procedimentos garantem a qualidade dos produtos, evitando alergias, intoxicações e efeitos colaterais indesejados nos humanos, mas isto não é verdade! Existem vários exemplos de substâncias que foram aprovadas com testes em animais, mas que nos humanos obtiveram efeitos inesperados (veja 50 consequências fatais de experimentos com animais). Acredite, testes em animais são altamente dispensáveis por dois motivos:
1) Não garantem nossa segurança, porque organismos diferentes reagem de maneira diferente.
2) São procedimentos cruéis, pois causam lesões e sofrimento prolongado.

O teste mais comum para cosméticos é o Teste de Draize, que tem dois tipos de procedimento: aplicação de substâncias na pele ferida ou diretamente nos olhos. No primeiro, a pele é raspada e ferida propositalmente e a substância aplicada para observação das reações. No segundo, são aplicadas substâncias diretamente nos olhos do animal, que pode ter as pálpebras presas e mantidas constantemente abertas. Durante até uma semana são observados os efeitos nos animais, que sofrem lesões irreversíveis como cegueira, mutilações e até morte.



Os coelhos são os animais mais utilizados em testes por serem baratos e terem olhos grandes, possibilitando a melhor observação de reações. E, acreditem, alguns são "reciclados" e submetidos a outros testes após a recuperação.



Isso não é vida para nenhum animal... e se você se importa com eles, não compre produtos de empresas que testam em animais. Esta é a maneira mais eficiente de demonstrar que você não concorda com esses procedimentos! Embeleze sua consciência também!

Existem alternativas viáveis para as empresas, como os testes em cultura de tecido humano, simuladores de computador, banco de olhos humanos e voluntários humanos (estes são necessários para os testes finais em qualquer produto). Mas porquê os testes em animais ainda não foram substituídos completamente ainda? Porque existem interesses econômicos por trás de tudo isso, existe uma indústria de cobaias e máquinas para os testes.



"Olhe no fundo dos olhos de um animal e, por um momento, troque de lugar com ele. A vida dele se tornará tão preciosa quanto a sua e você se tornará tão vulnerável quanto ele. Agora sorria, se você acredita que todos os animais merecem nosso respeito e nossa proteção, pois em determinado ponto eles são nós e nós somos eles." (Philip Ochoa)

No SAC Vegano você encontra informações sobre marcas de produtos que testam em animais ou que contém ingredientes de origem animal. O site do PEA é outro que contém uma lista cruelty-free. Sei que é meio chato ter que ficar procurando cada marca, mandando e-mails para as empresas, mas vale a pena, pois não há cosmético milagroso que conserte a indiferença e a amargura do egoísmo.


"Mais de 300.000 animais (muito mais, certamente) sofrem e morrem a cada ano nos laboratórios. Por uns cílios perfeitos"

Para entender melhor como funcionam os testes em animais (vivisecção), assista ao documentário "Não Matarás", do Instituto Nina Rosa.

10 comentários:

  1. Parabéns pela iniciativa deste post, Barbara. Ele só mostra a pessoa consciente que vc é. Se quiser, no meu blog tenho a lista completa dos assassinos e torturadores e das empresas éticas no link abaixo. bjn...

    http://www.infinityjafa.org/2010/01/crueldade-tem-nome-e-sobrenome.html

    ResponderExcluir
  2. E acabei de fazer um post no Horizonte linkando vc... bjn...

    ResponderExcluir
  3. Bárbara,

    Cheguei ao seu blog através do Horizonte e vim aqui para, assim como a Jana, te parabenizar pela abordagem de um assunto tão sério e que as pessoas fingem não existir...

    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Olá Barbara, também cheguei ao seu blog através do Horizonte. Parabéns pelo post. Fiquei chocada com as imagens, mas as vezes elas são necessárias para poder enxergar as coisas de uma outra perspectiva. Sucesso a você! Bjs Faby

    ResponderExcluir
  5. Pois é, esse assunto é bem sério e não pode ser negligenciado por profissionais, amadores e consumidores.
    Obrigada ao "Horizonte" por linkar meu post. Qdo estava procurando informações na internet caí num post de lá. :)
    Tomara que cada vez mais empresas despertem para a vantagem que é extinguir os testes em animais. Vai ser melhor pra td mundo!

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela inciciativa do post! parabéns a todos os que são contra esta barbárie que ocorre em laboratórios destas empresa malditas.
    Viva a consciência Humana. Diga NÂO a produtos que fazem testes em animais.
    Abrç

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Oi...adorei sua iniciativa em abordar esse assunto, até então não tinha conhecimento disso...nossa é impressionante a frieza e ganância do ser humano, até onde podem ir...!?? E pensar que as mulheres pagam absurdos em produtos, só pelo simples ato de tê-lo porque é de marca....e esqueçem que para isso seres indefesos sofreram esses maltratos...
    Estou revoltada...:(

    ResponderExcluir
  9. Eu sou contra teste em animais e não uso marcas que testam nos bichinhos. A MAC é uma delas. =)
    Apoio sua causa!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails